Carlos Fontes

 

 

   

Cristovão Colombo, português ?

 

.

Anterior . Próximo

 
 

Colombo: Italiano ?

 

 

A biografia de Colombo mais divulgada em todo o mundo é de origem italiana. Os italianos foram os primeiros e os que mais investiram na construção da História de Cristovão Colombo (Cristoval Colon) acabando por mistificar completamente a sua biografia. Uma tarefa que envolveu a própria Igreja Católica quando o pretendeu santificar... 

 

É hoje muito difícil separar os factos históricos daquilo que foi inventado para sustentar a tese da sua origem genovesa. Porque o fizeram ?

 

Referências Históricas

 

O primeiro documento oficial que regista a sua nacionalidade afirma que era português, no entanto outras referências posteriores dão-no como "ligure", genovês ou simplesmente  italiano. Uma análise rigorosa destes último testemunhos revela facilmente que os mesmo são falsos e falsificados. 

 

Herança

 

Colombo negociara com os espanhóis lucrativos rendimentos no caso de descobrir o caminho marítimo para a India/Asia, navegando para Ocidente. Os caçadores de heranças italianos, no século XVI, que se haviam especializado em fazerem desaparecer documentos, em falsificações e até em assassinatos, viram que tinham na situação vivida por este enigmático navegador a possibilidade de ficarem com os enormes rendimentos provenientes do saque que os espanhóis estavam a fazer das Indias. Colombo e a sua família, embora não pudessem revelar a sua identidade, trataram de os afastar quando estes se revelavam demasiado perigosos. 

 

Colombo morre em 1506, dois anos depois o italiano Francisco Berardi que se havia casado com a sua cunhada - Violante Moniz Perestrelo - aparece morto. Foi o único que se havia conseguido introduzir no clã familiar. É por esta razão que nenhum italiano herdou o que quer que fosse de Colombo, nem sequer está ligado a qualquer ramo da sua descendência !

 

Estes métodos italianos eram na altura defendidos por o florentino Maquiavel (1469-1527), sempre que estivessem em jogo os interesses do Estado ou dos "Principes" locais. A apropriação do nome e sobretudo da herança de Colombo era um dos casos.

 

Banqueiros

 

A partir do século XV, os italianos, sobretudo os genoveses, com o apoio do Vaticano lançaram uma ofensiva contra os judeus, os seus principais concorrentes no sistema bancário na Península Ibérica. Após o estabelecimento da Inquisição em Espanha (1478), os genoveses estão na primeira linha do saque dos bens de judeus, nomeadamente em Sevilha. Em 1536 quando foi estabelecida a Inquisição em Portugal, a maioria dos estrangeiros que participavam neste "Tribunal" eram genoveses. Os banqueiros genoveses e a Igreja Católica estavam unidos na contra os judeus e no seu saque.

 

Durante o reinado de Carlos V em Espanha (1517-1558), a Espanha ficou totalmente endividada, grande parte das rendas provenientes das Indias acabaram parar às mãos dos banqueiros estrangeiros, em particular dos genoveses ( 1 ). A "naturalização" de Colombo como genovês, acabava por legitimar este saque que os genoveses faziam à Espanha. 

 

Prestígio. E

stava em jogo o prestígio dos navegadores italianos no confronto com os portugueses. No séculos XVI estava também em jogo uma enorme rivalidade económica. Portugal e as cidades italianas disputavam os mesmos mercados orientais. Os italianos aliaram-se frequentemente aos muçulmanos para combaterem os portugueses no Oriente. Prestígio e interesses comerciais andaram sempre juntos.

 

A biografia de Colombo para sustentar esta alegada origem italiana foi construída na quase totalidade com base documentos falsos ou falsificados. 

 

 

Provas Italianas

 

Quais são as provas que sustentam a sua origem italiana ? Documentos falsos ou falsificados. Basta uma simples análise da vida deste navegador para se perceber a fragilidade destas provas. Qual a relação de Colombo com a Itália? Nenhuma !

 

Nunca manifestou qualquer ligação a Itália.  No seu "Diário de Bordo", por exemplo, ignora por completo a Itália e os italianos.

 

Desconhecia a língua ou qualquer um dos seus dialectos, nem um único nome italiano deu a qualquer terra ou ilha das Indias. O facto é tanto mais incrível quanto Colombo, segundo os biógrafos italianos, teria feito estudos superiores em Itália. Apesar disso nem uma única palavra se recordava da sua suposta língua materna, o mesmo acontecia com os seus dois irmãos. O seu estandarte pessoal ostentava a Cruz Verde, o símbolo da dinastia real de Portugal.

 

Enquanto foi corsário a maioria dos navios que atacou eram italianos, nomeadamente os genoveses. Os restantes eram espanhóis e muçulmanos. 

 

A sua ideia de atingir as Indias/Asia navegando para Ocidente, tinha em vista prejudicar os interesses italianos no comércio com o Oriente, transferindo o poder do Mediterrâneo para o Atlântico. 

 

Fez tudo o que pode para afastar os italianos da suas expedições, assim como da sua própria família. Ainda na 1ª. viagem (1492/93) acaba por condenar à morte um dos raros italianos que foi forçado a levar consigo.

 

As únicas ligações de Colombo a Itália ou aos italianos resumem-se a meros contratos financeiros. Usou-os apenas para assegurar a protecção internacional para os seus privilégios, efectuarem transacções de capitais de Espanha para Portugal e persistir nas suas mentiras na corte espanhola.

.

Colombo ignorava por completo e Itália e os italianos, e nunca manifestou qualquer ligação afectiva a esta região da Europa.

 

 

Carlos Fontes

 

Anterior . Próximo

 

 

Continuação:

 

1.  Embustes

2.  Tecelão de Lã 

3.  Falsificações Italianas

4.  Estranho Filho de Itália 

5.  A Itália de Colombo

6.  Lugares de um Tecelão em Itália

7.  Cronologia Italiana

 

.

Provas de Colombo Espanhol

Provas de Colombo Português

 

Anterior . Próximo

Para nos contactar: carlos.fontes@sapo.pt