.


Jornal da Praceta

Fundado em 2001


Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

 

 

 

 

Anterior

.

 

Comissão Social da Freguesia de Alvalade (CSFA)

6ª. Sessão Plenária: 31 de Março de 2017, pelas 18:00 no anfiteatro da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

Quais são os grandes problemas sociais da freguesia?

- Uma população envelhecida e uma falta de civismo generalizada!

O grande interesse da 6ª. sessão era a apresentação do Relatório Final do Diagnóstico Social da Freguesia de Alvalade. Após longos meses de trabalho, envolvendo uma exaustiva pesquisa documental, workshops com representantes das diversas entidades, 1111 entrevistas a moradores de toda a freguesia, os resultados apurados não constituem nenhuma surpresa. Limitam-se a "confirmar" ou a "repetir" o que o Jornal da Praceta e outros inquéritos à população tem afirmado:

1. População envelhecida. A população da freguesia de Alvalade está profundamente envelhecida. A solidão, os problemas de saúde e de mobilidade afetam grande parte dos habitantes da freguesia. Os sinais de  rejuvenescimento existem, mas são ainda muito pequenos.

2. Falta de civismo. Á semelhança de outros inquéritos recentes, os moradores consideram que os principais culpados da degradação dos espaços públicos são os próprios moradores.

A porcaria que atiram para as ruas, passeios ou jardins, ou a que fazem com os cães ultrapassa todos os limites. Nenhum serviço de limpeza camarário ou da junta da freguesia consegue dar resposta a tanta porcaria.

Os moradores não se limitam a emporcalharem tudo o que encontram, bloqueiam os passeios, apropriam-se dos espaços públicos para a construção de todo o tipo de barracarias na maior das impunidades. Os equipamentos públicos são rapidamente vandalizados por quem os devia proteger.

3. Indiferença das Autoridades. Apesar da forma abonatória como os moradores avaliaram o trabalho da CML/JFA na limpeza dos espaços públicos, os mesmos não deixaram de lhes apontarem o dedo, acusando estas entidades de passividade perante os infractores.

4. Isolamento Social. O Diagnóstico revelou que os moradores sentem-se afastados da vida da comunidade, nomeadamente pela inexistência de espaços de encontro e de vivência colectiva.

Estas foram em síntese as grandes novidades apresentadas na 6ª. sessão da CSFA. Ficamos à espera da divulgação do relatório completo. 

Na maior das impunidades este comerciante transformou um passeio público numa lixeira, onde é frequente verem-se a alimentar ratazanas. Rua Afonso Lopes Vieira. Foto:3/04/2017

Convocatória . Ata

5ª. Sessão Plenária: 3 de Outubro de 2016, pelas 18:00 no auditório da Junta de Freguesia de Alvalade.

Uma sessão praticamente sem história.

Convocatória.  Ata 5

4ª. Sessão Plenária: 27 de junho de 2016, pelas 18:00

no Anfiteatro 6 da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Convocatória . Ata 4

 

A CSFA perdeu a energia inicial: a 4ª sessão que estava prevista para Março só ocorreu no final de Junho de 2016.

Apesar deste facto a CSFA continua a contar com um número elevado de entidades participantes: 84 entidades e 9 pessoas a título individual, números que a tornam numa das maiores, senão a maior CSF do país. Nesta sessão plenária foi aprovado a adesão de novos membros.

 

Na apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos seis grupos de trabalho que constituem a CSFA, ficou evidente que ainda estão quase todos numa fase de contactos iniciais. O número de entidades que efectivamente participam nos vários grupos é muito reduzido, sendo que alguns dos participantes estão em vários grupos de trabalho. As razões evocadas para esta diminuta atividade foram as seguintes:

 

1. Elevadas expectativas iniciais para um trabalho colectivo que envolve muitas e diversas entidades que nunca trabalharam em conjunto. O trabalho entre entidades públicas e privadas não é facilmente conciliável, quando e trata de definir objectivos comuns, pois os interesses são diferentes.

 

2. Os horários das reuniões de trabalho são pouco compatíveis com as atividades profissionais dos participantes;

 

3.  A maioria das propostas apresentadas revelam um deficiente conhecimento global dos problemas da freguesia;

 

4. Um grande número de entidades está apenas interessada em dar-se a conhecer e promover os seus produtos na comunidade, mas não em envolver-se na resolução de problemas sociais.

 

5. Alguns dos participantes têm manifestado em privado que estas Comissões Sociais servem sobretudo para promover os respectivos autarcas junto das várias entidades, alegando que as propostas aprovadas nos grupos de trabalho raramente são concretizadas.

 

No final da sessão Cecília Delgado, do LNEC, apresentou um ambicioso projeto de Agricultura Urbana e Sistema Urbano Alimentar em Alvalade. A ideia tem enorme potencial, nomeadamente se for articulada com a requalificação dos logradouros do bairro de Alvalade. A acompanhar.

 

3ª. Reunião Plenária: 9 de Dezembro de 2015, 18h30,

 Auditório da Escola Secundária Padre António Vieira.

Convocatória . Ata nº3

 

Contando com a presença de 10 entidades, sob a presidência de Fernando Pinto, deu-se inicio aos trabalhos com a aprovação da ata do anterior plenário, seguindo-se a votação por unanimidade da adesão de 3 novas entidades. A parte mais substancial da reunião foi a informação prestada.

 

Ficamos a saber que entre 8 e 19 de Janeiro de 2016 os 6 grupos de trabalho voltarão a reunirem-se para agendarem possíveis ações. A encomenda do Diagnóstico Social de Alvalade foi adiada para Janeiro de 2016, serão agora contactadas novas instituições académicas para o realizar. 

 

Em plena época natalícia destacam-se quatro iniciativas:

 

A segunda edição do Mercado de Alvalade, de 11 a 20 de dezembro, das 10h às 22h, ao longo da Avenida da Igreja e Largo Frei Heitor Pinto, este ano marcada pelo forte envolvimento dos comerciantes de Alvalade, o que parece indiciar uma viragem no comércio tradicional.

 

A Comunidade Vida e Paz, na Cantina 2 da UL, promoverá mais uma festa para pessoas "sem-abrigo" e outras igualmente carenciadas.

 

Os CS das paróquias do Campo Grande e de São João de Brito, associados com outras entidades, como a ACAL irão distribuir "cabazes de natal" pelas famílias mais carenciadas da freguesia de Alvalade, .

 

A Associação de Comerciantes de Alvalade (ACAL), em colaboração cm várias entidades, promove entre os dias 11 e 24 de Dezembro de 2015 um vasto conjunto de atividades que irão decorrer no jardim da Rua José Duro, no passeio em frente ao Mercado Alvalade Norte e na Av. da Igreja, o espectáculo de abertura está marcado para o auditório da Junta de Freguesia de Alvalade.

Os comerciantes de Alvalade, reunidos numa associação - ACAL - resolveram promover diversas iniciativas durante a época natalícia, entre as quais se destaca uma "Tenda Solidária". Até dia 20 de Dezembro promoveram a campanha “Despertar a Partilha do Natal na Freguesia de Alvalade”, destinada à recolha de produtos para a construção dos Cabazes de Natal a serem distribuídos às famílias com carências económicas da freguesia. Programa 

 

Rosa Lourenço, vogal da Junta de Freguesia, anunciou que estava já em funcionamento um serviço especializado de Atendimento Social de Proximidade, que conta com um "Fundo de Emergência Social" ( habitação, saúde) , um "Fundo Social de Freguesia" (apoio financeiro de emergência) e o "Projecto Ferro de Soldar" (pequenas reparações domésticas). O horário de atendimento é às segundas-feiras, das 9h00 às 13h00, na sede da Junta de Freguesia.

 
 

 

2ª. Sessão Plenária - 15/04/2015

 

Foi marcado para as 18.30 no Auditório da Biblioteca Nacional de Portugal, no Campo Grande, a segunda sessão Plenária com seguinte ordem de trabalhos: 1. Aprovação da Ata da 1ª.Sessão Plenária; 2. Novas Adesões; 3. Constituição do Núcleo Executivo; 4.Constituição dos Grupos de Trabalho resultantes do Café-Debate; 5. Outros Assuntos. Convocatória . Ata nº2 . Presenças

 

A sessão, com ligeiro atraso,  começou com a aprovação da Ata nº1.

Foi aprovada a adesão de novas entidades, a que se seguiu a eleição do Núcleo Executivo, tendo sido eleitos os seguintes elementos: Isabel Paixão (Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa), Fernando Pinto (Santa Casa da Misericórdia de Lisboa), Madalena Antunes (Centro de Educação e Desenvolvimento António Aurélio da Costa Ferreira) e Isabel Lopes (Associação Humanidades, instituição particular de solidariedade social).

 

Por último, procedeu-se à aprovação dos seis grupos de trabalho que foram apontados no "café-debate" do dia 25/03/2015. Dentro de três meses, em Julho, haverá nova sessão plenária.

 

Diagnóstico Social da Freguesia de Alvalade - Café-Debate

 

Foto: JFAlvalade

No passado dia 25/03/2015, ao fim da tarde realizou-se no salão nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa, um "café-debate" no qual foram identificadas seis grande áreas susceptíveis de uma intervenção conjunta na freguesia de Alvalade: 

 

1. Acessibilidade, Cidadania e Segurança;

2. Cultura, Educação e Desporto;

3. Direitos Humanos;

4. Idade Maior (envelhecimento ativo, isolamento, pobreza, etc)

5. Infância e Juventude

6. Saúde

O próximo passo será  constituição de grupos de trabalho para uma das áreas que venham a ser definidas como prioritárias.

 
 

 

1ª. Sessão Plenária - 14/01/2015

 

Foto: JFAlvalade

Para que conste: no dia 14 de Janeiro de 2015, no anfiteatro do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, foi constituída formalmente a Comissão Social da Freguesia de Alvalade, tendo sido votado por unanimidade o seu Regulamento Interno.

Esta comissão é composta pelas mais variadas entidades e moradores que através de ações em parceria, se propõem contribuir para a erradicação da pobreza e da exclusão social e promoverem o desenvolvimento social ao nível da freguesia.

A sessão decorreu sob o lema: Empreendendo, Inovando e Sendo Solidário de forma convergente, coerente e integrada para o bem comum. 

Consultar:  Ata nº1 - Presenças . Regulamento Interno

Entidades Aderentes na Freguesia de Alvalade (Lisboa)

Sessão Preparatória

Aspecto da Sessão de 7 de Novembro de 2014

A sessão preparatória teve lugar a 7 de novembro de 2014, no auditório da Junta de Freguesia de Alvalade, tendo reunido entidades locais de várias áreas de atuação, do comércio à educação, cultura, desporto e outras,  envolvendo o setor público, instituições privadas e o setor social.
   

Reunião do Grupo de Trabalho 1 

Acessibilidade, Cidadania e Segurança

Reunião de Trabalho, 16/11/2015, 15h00, sede da Junta de Freguesia

Os seis grupos de trabalho da CSA iniciaram as suas primeiras reuniões exploratórias com vista a identificarem preocupações comuns. As intervenções realizadas pelos representantes das várias entidades espelham muitos dos problemas da freguesia de Alvalade.

A representante da Casa Pia de Lisboa chamou à atenção para os inúmeros obstáculos que os 39 utentes  surdoscegos têm que enfrentar diariamente para chegarem aos centro António Aurélio da Costa Ferreira. É inconcebível que nada tenha sido feito para resolver este problema.

O representante da Associação de Pais da Escola do Bairro de São Miguel deu primazia à questão do estacionamento à volta da escola.

A representante da Paróquia do Campo Grande chamou à atenção para os gravíssimos problemas da circulação no Bairro das Caixas. Os passeios estão transformados em parques de estacionamento, obrigando as pessoas a "circularem" pelas ruas. Uma problema particularmente sentido pela maioria da população, sobretudo os mais idosos.

O representante do Centro Hospitalar Psiquiátrico Júlio de Matos enfatizou o problema da segurança e da destruição dos equipamentos públicos, nomeadamente dos candeeiros de iluminação.   

A representante do Centro Hospitalar Lisboa Norte (Hospital de Santa Maria) mostrou-se particularmente sensível às questões da circulação.

A representante da Junta de Freguesia de Alvalade centrou-se ao nível do espaço público destacando entre os principais problemas, o arvoredo desajustado e o do estacionamento desordenado.

Em relação ao arvoredo apontou a necessidade do sistemático abate e substituição das arvores, com base num prévio diagnóstico.

Quando a estacionamento apontou para a intervenção da EMEL, que aparentemente deixou de se centrar na caça à multa e passou a contribuir para resolver os problemas do estacionamento em Lisboa. A EMEL assumiu a tarefa  de limpeza dos logradouros do Bairro das Caixas e a introdução de parquímetros de modo a disciplinar o estacionamento nesta zona.

Foi-lhe dito que muitos dos espaços que foram limpos já estão a ser ocupados por construções clandestinas. Revelou então as enormes limitações da Junta de Freguesia em muitas áreas, em especial no combate à ocupação ilegal dos espaços públicos no Bairro das Caixas, cuja atuação é da competência da Polícia Municipal.

 Reuniões de trabalho:

- 19 de Maio de 2016, na Junta de Freg. de Alvalade.

- 16 de Junho de 2016, 14h00,  na Junta de Freg. de Alvalade.

 

 
   

A rede social foi criada em 1997 tendo em vista agregar e impulsionar a nível local entidades e pessoas envolvidas em ações de erradicação da pobreza e da exclusão social, na promoção do desenvolvimento social e da igualdade de género. (Dec.-Lei, nº.115/2006, de 14 de Junho).

A nível dos conselhos foram criados os CLAS - Conselhos Locais de Acção Social e ao nível das freguesias as Comissões Sociais de Freguesia. O objectivo comum é constituírem plataformas para o diagnóstico das situações, encontro e cooperação das várias entidades para a acções conjuntas em prol das comunidades locais.

O Conselho Local de Acção Social de Lisboa (CLAS–Lx) é o órgão máximo da Rede Social de Lisboa, competindo-lhe aprovar o Diagnóstico Social e o Plano de Desenvolvimento Social, assim como os respectivos planos de acção anuais, cuja execução lhe compete igualmente avaliar.

A Câmara Municipal de Lisboa, a Santa Casa de Misericórdia de Lisboa e o Centro Distrital de Segurança Social de Lisboa (actualmente ISS, I.P. - Centro Distrital de Lisboa), 18 de Abril de 2006, assinaram o Protocolo de Colaboração que visou instituir uma colaboração de carácter regular e permanente entre as três entidades para implementação da Rede Social de Lisboa.

Contactos: Av. Estados Unidos da América, nº39, 1º andar.1749-062 Lisboa. Telefone: 300 511 389
Email: redesociallisboa@seg-social.pt

   

Diagnóstico e Planos Sociais de Lisboa

O diagnóstico social de Lisboa, datado de 2009,  fez um primeiro retrato social da cidade tendo sido identificado seis grandes áreas sobre as quais devia se incidir a ação social:

- Cidade Saudável:

- Crescer com Oportunidades:

- Da Vulnerabilidade à Inclusão

O Plano para a pessoa sem abrigo foi aprovado em 2009.

- Diversidade Cultural:

- Envelhecimento Activo:

Plano de Intervenção para a Área do Envelhecimento foi aprovado em 2012

- Qualidade dos Serviços:

 

O Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa 2013-2015 aprovado em 2012 apontava as seguintes áreas intervir :

  - Lisboa Cidade Saudável,

 - Lisboa Cidade do Empreendedorismo Social

- Lisboa Cidade Inclusiva

- Lisboa Cidade das Redes de Inovação Social

-  Lisboa Território da Cidadania Organizacional

 

 

Avaliação do Programa da Rede Social de Lisboa

....

   
  
 
 
 
  .