Jornal da Praceta

Fundado em Junho de 2001


Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito)  

História Local - Alvalade e Campo Grande

Centro Escolar Republicano Alferes Malheiro (C.E.R.A.M.)

Alvalade ficou mais pobre. O C.E.R.A.M. fechou as portas. Fundado no Campo Grande, em Dezembro de 1908, teve a sua primeira sede na Rua Oriental do Campo Grande, nº 111, e sempre no Campo Grande, acabou os seus dias no nº.294, 1º.Esquerdo. Homenageava - Augusto Rodolfo da Costa Malheiro (1869-1924) - que liderou revolta republicana no Porto do 31 de Janeiro de 1891, tendo-se exilado no Brasil. A actual Avenida do Brasil começou por ser denominada Avenida Alferes Malheiro, mas o nome do homenageado acabou remetido para uma rua no Pote d`Agua.

O C.E.R.A.M manteve durante décadas uma escola primária, e em épocas muito recuadas chegou a prmover conferências. Em 1987 foi agraciado com a Comenda da Ordem da Liberdade.

 

Destaques

Cabrinhas, esculturas de Rocha Correia

Imagens da "Nova Lisboa" em 1953

  História de Alvalade - Campo Grande

 Bairro de Alvalade: O Plano e a Obra 

  Bairro das Estacas

  Breve Cronologia 

 Inventário Artístico 

  Arquitectos do Bairro de Alvalade 

  Transportes 

 Os Estádios do Campo Grande 

 Bibliografia .

  Toponímica: Afonso Lopes Vieira ; José Lins do Rego; São João de Brito.; Padre António Vieira e São João de Brito;

Em 1990 ainda pastavam rebanhos de ovelhas na Alameda da Cidade Universitária.

Documentário da RTP sobre o bairro do Campo Grande, em Lisboa, realizado por Courinha Ramos.

 

 

Av. dos EUA, 1960. Foto de Arnaldo Madureira. Arquivo Municipal de Fotografia de Lisboa

Arnaldo Madureira

fotógrafo de Lisboa e historiador de Portugal Contemporâneo

A chamada "célula 5" do Bairro de Alvalade, delimitada pela Av. da Igreja, a Rua Maria Amália Vaz de Carvalho, Av. de Roma e Av. Rio de Janeiro foi construída em duas fases, a primeira em 1949-50 e a segunda entre 1950-54. Arnaldo Madureira (n.1940), com a sua família, foi um dos primeiros moradores nesta nova zona de Alvalade, fixando residência em 1954 na Rua José Duro.

Fascinado com a mudança que em Lisboa estava a ocorrer, a partir de 1959, arranja uma máquina fotográfica e começa a fotografar a cidade de lés a lés, atividade que prossegue até 1970. O seu valioso espólio fotográfico, com mais de 7 mil imagens, está hoje integrado no Arquivo Municipal de Fotografia e permite-nos documentar muitas das transformações de Lisboa, não apenas da sua arquitectura, mas também do seu quotidiano.

Formando em economia, entre outras atividades,  foi professor na Academia Militar. Tem-se dedicado a história de Portugal contemporâneo, em especial ao período entre finais do século XIX e os anos 40 do século XX.

Da sua vasta obra como historiador destacam-se os seguintes títulos: A Colonização Portuguesa em África 1890-1910; A Questão Religiosa na I República; O 28 de Maio: elementos para a sua compreensão - na hora do corporativismo; O 28 de Maio: elementos para a sua compreensão - na génese do Estado Novo; Antecedentes Imediatos do Salazarismo; A Formação Histórica do Salazarismo (1928-1932); A Igreja Católica na Origem do Estado Novo (2006)  Salazar - A Instauração da Ordem. 

Imagens da Freguesia de Alvalade

 
 

.

Sabia que o "campus" do LNEC é, desde o dia 24 de dezembro de 2012, considerado Monumento de Interesse Público ?

Inaugurado em 1952, o Campus do LNEC, que se estende ao longo de 22ha, desde a a Av. do Brasil até à 2ª Circular, é composto por um conjunto de edifícios de grande interesse arquitectónico, construídos em diferentes épocas, da autoria de nomes maiores da Arquitetura portuguesa, como Pardal Monteiro, autor do Edifício Principal do LNEC, Januário Godinho, João Andersen, entre outros.

 

Hospital Júlio de Matos

Histórias nunca contadas. Mais 

 

 

Henrique Albino

O Bairro de Alvalade foi na 2ª metade do século XX um excepcional espaço de construção de obras marcantes da arquitectura portuguesa. A actual degradação do bairro e a alteração das fachadas tem descaracterizado muitos excelente edifícios. Entre as obras que mais tem resistido a este processo destacam-se as do arquitecto Henrique Albino. Mais  

 

.

Frederico de Freitas

Maestro e compositor que viveu na Av. dos EUA. Mais

 
 

 

O 1º. de Maio em Alvalade

As comemorações do 1º.de Maio em Lisboa estão intimamente ligadas a Alvalade. O célebre 1º. de  Maio de 1974 foi no Estádio 1º. de Maio, em Alvalade, que se desenrolaram os acontecimentos mais marcantes. Em 2004, 2005 e 2006 o ponto alto foi na Alameda da Universidade. Mais

 
  .

Património Artístico a Descobrir

As ignoradas obras do arquitecto Ruy Jervis Athouguia e do escultor  Soares Branco no Bairro de Alvalade . Mais.

 

Escultura de Luisa Todi no Jardim do Campo Grande

(desaparecida)

Antigos e Actuais Moradores da Freguesia de Alvalade

Zona do Campo Grande:

Azeredo Perdigão, Aquilo Ribeiro, Durão Barroso,  Fausto Figueiredo, Frederico de Freitas, Lauro António, João Lopes Soares, Mário Soares, João Soares, Jorge de Brito, Lindley Cintra, Manuela Pinheiro, Vitorino de Almeida, Vale e Azevedo.

 

Zona de Alvalade:

Alexandre Cabral, Ana Maria Magalhães,  Aquilino Ribeiro (filho) Artur Agostinho,  Carlos Pinhão, Carlos Rocha, Costa Gomes, Daciano Costa, Dórdio Guimarães, Fidelino Figueiredo, Fernando Lopes, Frederico de Freitas, Isabel Alçada, Isabel de Castro, João Sá da Costa,  José Gomes Ferreira, José Cardoso Pires, Lídia Jorge, Marcelo Caetano, Maria Luisa Guerra, Manuela Simões, Nuno Teotónio Pereira, Raul Rego, Salgado Zenha,   Rogério Fernandes, Santos e Castro, Soares Branco, Virgílio Ferreira.

.

Campo Grande

Fotografia do Jardim do Campo Grande nos anos 60

Dossier

25 de Abril:

30 anos depois

.

Testemunho inédito:

A revolta em 1973 dos estudantes de Lisboa

 

Um caso que abalou a ditadura:

A Greve da Igreja do Rato passou por aqui

 

Opus Dei Encerra Quebra Bilhas

Lisboa continua de luto. Depois da destruição da casa de Almeida Garrett, chegou a vez de fechar as portas um dos espaços mais simbólicos da cidade - o Antigo Retiro Quebra Bilhas no Campo Grande. A lapidação do património tem prosseguido a bom ritmo, em 2007, as portas de madeira datadas do século XVIII foram substituídas por portas de alumínio. Ao que consta terão sido levadas para Espanha como troféus da Obra.  Mais.

Arquivo Histórico da antiga Junta de Freguesia de Alvalade (1959-2013)

( restos de colecção )

 

Arquivo Histórico da antiga Junta de Freguesia de São João de Brito (1959-2013)

( restos de colecção )

 

Arquivo Histórico da antiga Junta de Freguesia do Campo Grande (-2013)

( restos de colecção )

 
 

 

Mário Soares (1924-2017)

Entre aplausos e muita emoção, o carro que transporta os restos mortais de Mário Soares,  entra na Rua Dr. João Soares, na freguesia de Alvalade. O caixão está envolto na bandeira de Portugal. Eram 11h04 do dia 9/01/2017. A partir daqui inicia-se o cortejo fúnebre que terminou no Mosteiro dos Jerónimos. Mais

 

Faculdade de Direito em dia de eleições. Foto: 24/01/2016

Marcelo Rebelo de Sousa, no dia que ganhou as eleições para a presidência da república (24/01/2016) fez o seu discurso de vitória na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, em Alvalade. Esta faculdade conta entre os seus alunos outro presidente da República - Jorge Sampaio (9/03/1996-9/03/2006).

Nesta faculdade foi também professor Marcelo Caetano, o ditador que sucedeu a outro ditador - António Oliveira Salazar. Era morador em Alvalade e esteve para ser padrinho de Marcelo Rebelo de Sousa.

 

 

Bruxelas, 23 de Março de 2016 , 8h00

A noticia espalhou-se rapidamente. Às 8h00 ocorreram duas explosões no aeroporto de Zaventem, e às 9h10 ocorreu outra na estação do Metro de Maelbeek. Foi o resultado de mais um ato terrorista de radicais islâmicos que custou a vida a mais de 30 pessoas, tendo ficado feridas centenas de outras. Ninguém pode ficar indiferente perante mais este crime contra a humanidade.

 

Lisboa, Entrecampos, 23 de Março de 2016, 18h25

Apesar da distância, o que aconteceu em Bruxelas foi intensamente vivido em Portugal. Numa cidade cosmopolita como Lisboa, era natural que muitas pessoas manifestassem uma maior preocupação com a segurança ou até medo. E assim aconteceu. Pelas 18h30 era dado o alerta que na paragem de autocarro, junto à entrada para a estação do Metro de Entrecampos estava um saco abandonado. A polícia mobilizou rapidamente para o local uma panóplia de meios de deteção de minas e armadilhas, o que foi largamente difundida na comunicação social. Tratava-se afinal de um saco de lixo, mas podia ser um engenho explosivo. A diferença seria então entre a vida e a morte. A polícia agiu bem.

 

Paris, 13 de Novembro de 2015

Na manhã a seguir aos hediondos atentados em Paris, bandeiras da república francesa surgiram nas varandas do bairro de Alvalade num manifestação pública de solidariedade com o povo francês. Conheça a barbárie que está  a ameaçar a nossa civilização. Mais 

 

 

Alvalade em 1945. Foto Eduardo Portugal, AMF

 

Ao fundo vê-se o Hospital Júlio de Matos, inaugurado em 1942. O local foi aplanado para a construção da Célula 1 do Bairro de Alvalade (1947-1949). O edifício da quinta foi mantido até  no final dos anos 50 quando foi demolido para construção de uma praceta, denominada Rua José Lins do Rêgo (1962). Foi nesta praceta que, em Junho de 2001, começou a ser publicado o Jornal da Praceta, o primeiro jornal electrónico de um bairro de Lisboa.

 

 

Quando um Manto Branco (de Granizo) cobriu Alvalade.

Dia 21 de Março de 2016, pelas 15:20, o céu parecia desabava quando começou a cair enormes bolas de granizo. Por momentos esperou-se o pior, mas felizmente nada de grave acontece. Em pouco tempo Alvalade, Campo Grande, Lumiar e outras zonas a norte de Lisboa, ficaram pintadas de branco.

 

João Ruela Branco, foi um dos primeiros a divulgar imagens do manto de granizo cobriu Alvalade. Foto do Jardim do Campo Grande, divulgada no jornal Publico. 21/3/2016.

 
   

Editorial

Entrada

História local
Guia do Lazer
Quiosque
 

 

Onde Estamos ?

 

 

 

Av. dos EUA, no cruzamento com a Av. de Roma (anos 70). Conjunto de edifícios emblemáticos do Plano Urbanístico de Alvalade,  hoje profundamente degradados. Os blocos em altura foram isolados e implantados em espaços verdes, separando desta forma os peões dos carros.

 

 

Reitoria da Universidade de Lisboa.

Todo os conjunto da cidade universitária foi concebido por Pardal Monteiro (1956/61).