Jornal da Praceta


Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

Casos

 

Quem anda a destruir a ginkgo biloba?

A Ginkgo Biloba quando foi inaugurada a Escola Secundária Rainha Dona Leonor a 21 de Janeiro de 2011

Parece impossível mas acontece. No passeio defronte da Escola Secundária Rainha Dona Leonor, na freguesia de Alvalade em Lisboa, no passado dia 3 de Abril de 2015, um energúmeno resolveu serrar uma árvore - Ginkgo Biloba - que aí foi plantada aquando das obras de remodelação deste estabelecimento escolar.

 

O tronco da Ginkgo Biloba serrado no dia 3/04/2015

O tronco principal da Ginkgo Biloba serrado em Abril de 2015

 

  A Ginkgo Biloba, apesar de serrada continuou a resistir a este crime ambiental praticado junto a um estabelecimento escolar, onde professores e alunos têm dado mostras e exemplos de envolvimento na preservação do ambiente e das nossas florestas.

 

Um dos rebentos da Ginkgo Biloba que tem sido arrancados

 

A verdade é que o ou os energúmenos não tem parado com os seus atos criminosos, e de forma sistemática tem arrancando os rebentos da Ginkgo Biloba de modo a eliminarem o seu desenvolvimento.
 

Foto de Ginkgos Bilobas, em plena floração, tirada por  José Júlio Pontes Amarante dos Santos, na rua Fernando Pessoa, na Freguesia de Alvalade (http://imagenscomtexto.blogspot.pt/2013/12/cores-de-outono-3-ginkgo-biloba.html)

Ginkgo biloba, de origem chinesa é uma árvore considerada um fóssil vivo, pois existia já no tempo dos dinossauros, há mais de 150 milhões de anos. É símbolo de paz por ter sobrevivido às explosões atómicas no Japão em 1945.

 

Racismo ?

Para "afugentar" a comunidade cigana, muitos comerciantes do Campo Grande  resolveram colocar sapos à entrada nos estabelecimentos comerciais. Garantem que desta forma os roubos diminuíram. Um caso em análise. Mais

 

   





 

Editorial

Entrada

História local
Guia do Lazer
Quiosque
 
 
   
   
    

Descubra as Novidades nas Diferentes Secções 

Nove contos originais estão à sua espera no Jardim Infantil